Para onde eu vou? | CSF

0 Flares Filament.io 0 Flares ×

Hoje é quinta e é dia de mais um post do Manual Básico | CSF!

Dessa vez vou falar da primeira escolha que deixa qualquer candidato à bolsa meio perdido (e empolgado!): o destino!

csfdestino1Fonte: Vizualize us

Quando entrei no site do programa e fui pesquisar como fazer para me inscrever dei de cara com um mundo de possibilidades. Antes mesmo de saber se poderia ir estudar fora eu já fui vendo todos os lugares em que eu poderia viver e acreditem, são MUITOS.

csfdestino2

Fonte: Morando na América

São 20 paises, nos 5 continentes, em que você pode se aventurar. Entre eles estão Alemanha, Austrália, Áustria, Bélgica, Canadá, China, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Holanda, Hungria, Irlanda, Itália, Japão, Noruega, Nova Zelândia (meu destino!), Reino Unido e Suécia. Tantas opções e um só destino!

Eu vejo muita gente escolhendo o país levando em consideração o quanto conseguirão viajar durante o intercâmbio. Não façam isso! O objetivo do programa é a troca de experiências e não o turismo barato. Conseguir viajar durante a estadia fora do país não deve ser fator de escolha para nada durante todo o período de escolha do destino. Você pode perder a oportunidade de viver a experiência da sua vida só porque quer gabaritar o mapa mundi.

csfdestino3

Vou dar algumas dicas de critérios que eu usei para escolher a Nova Zelândia como destino:

1 – Pesquise, pesquise e pesquise: Pegue os países que você se interessou e pesquise sobre eles. Veja onde eles ficam, como é o estilo de vida. Essa parte é muito importante, afinal você irá passar 1 ano em um país estranho (e sem poder chorar pela mãe para voltar se não gostar do lugar) e é muito importante que você se identifique com a cultura local ou esteja disposto a viver em uma cultura completamente diferente.

2 – Pesquise sobre as universidades: Nos editais dos países têm as universidades parceiras. Entre no site delas e pesquise sobre a instituição. Veja se ela é boa, renomada e, principalmente, se ela é referência no curso superior que você faz. Acredite, isso faz a maior diferença! Não adianta você ir para os Estados Unidos (país mais disputado do programa) e estudar em uma universidade ok e perder a oportunidade de ir para um lugar que você jamais pensou e estudar em uma universidade renomada na sua área.

3 – Perca os preconceitos: Na lista dos países que fazem parte do programa existem vários (a maioria, talvez) que as pessoas descartam simplemente por não parecer um bom destino. Tenha em mente que a experiência não somente lhe dará a oportunidade de aprender muito – inclusive coisas que jamais aprenderia no Brasil –, mas fará você crescer. Encare o intercâmbio como uma experiência de vida. Então por quê não morar 1 ano em Israel ou Coréia do Sul, por exemplo? Aproveite!

4 – Conhecimentos diferentes: Preste atenção se, depois de toda a escolha, a universidade (e o país) lhe trará conhecimentos diferentes e aplicáveis no Brasil. Não adianta você passar esse tempo todo estudando fora do país para aprender o que você aprenderia aqui. Tenha sempre em mente que um dos objetivos do CSF é aprender o novo e agregar conhecimentos.

 

Parecem dicas simples e óbvias, mas fazem uma grande diferença na hora de escolher o seu destino. A escolha do país será fator essencial no resultado da experiência. Estar imerso em uma realidade diferente agregará mais conhecimento do que muitas horas de biblioteca por aqui. Vale lembrar que você só pode escolher um país para se inscrever. Você não pode sair “atirando” em vários editais e esperar depois para escolher.

Então, pense bem e escolha certo!

 

Próxima semana falarei mais detalhadamente dos 3 itens essenciais para se inscrever no CSF. Falarei de valores, provas e darei mais dicas de como entrar nessa com seus pré-requisitos arrasando! (e para ler o primeiro post da série é só clicar aqui!)

Qualquer dúvida é só mandar e-mail, perguntar nos comentários ou falar comigo nas redes sociais!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Leave a Reply